30 agosto 2014

Uma questão de peito...

Creio que nunca cheguei a comentar aqui algo extremamente intimo: eu tenho pavor, pavor de peito grande.

Na época do 46...Mal imaginava que chegaria aos 52.


Antes de ser moda entre as mocinhas incautas os seios já me foram motivo de riso, piadinhas e apelidos.
Experimente você ter 12 anos e usar sutiã 44. Experimente você chegar a usar sutiã 52.
Aliás, não experimente.

Onde quero chegar com isso?Quero chegar no meu atual estado: o pós operatório.



No dia 23 de julho de 2014, nas mãos do Dr. Roque de Mattia Jr, realizei o sonho de uma vida. Após ver minha mãe, minha tia e amigas delas passarem por essas mãos iluminadas, decidi em 2012 que passaria também pelas mãos dele e esse, foi um dos motivos que me impulsionou ainda mais a alcançar o meu peso ideal.

A cirurgia foi um sucesso e minha cicatrização impressionante. Hoje, a 364 dias do meu casamento, me sinto ainda mais segura e preparada para a procura do meu biquíni do próximo verão assim como para a busca do meu vestido de noiva.



Ana e o que isso tem com um blog sobre perda de peso?

Tem exatamente o pós operatório. Tem que desde o dia 22 de julho pude fazer atividade física apenas 3 vezes, que o pós operatório e os remédios incham e que ao menos até novembro estou vetada de praticar musculação.
O corpo muda. O corpo muda muito!
E apesar de estar escrevendo isso dentro de um jeans 36, escrevo com 59Kg (3 acima do meu antigo peso e da silhueta bem sequinha que eu prefiro ter) e com pequenas dobrinhas saltando o cós da calça. É uma tragédia?Não. Completamente reversível, eu sei e pelo melhor dos motivos possível: foi o pequeno preço que a cirurgia dos meus sonhos me cobrou.

Inchada porém feliz!:)


MAS, também sei que se você deixa passar, 3 viram 5, que viram 10 e quando você menos espera tudo vira uma bola de neve bem mais difícil de dissolver.

Moral da história? Seja vigilante sem ser neurótico. Ganhar peso não é uma tragédia mas também não é algo para se fazer vista grossa então não tenha medo de se pesar e não faça do ganho de peso uma grande tragédia: é só peso e você tem toda a capacidade de fazer diferente hoje.

Vamos?

29 agosto 2014

E-sports e Brasil no Riot World Championship

Já venho de cara confessar que se tem um dom que Deus não me deu, foi o de jogar bem MOBA. Como uma boa ansiosa tenho a tendencia de esquecer de respirar em situações de tensão e digamos que a falta de oxigenação impera e leva sempre a melhor de mim. Sou melhor analista sem a pressão do jogo ou a irritação de ver pessoas focando em kills ao invés de objetivos.



PORÉM, o fato de não ser boa, não quer dizer que eu não goste ou que não gaste horas e horas assistindo partidas dos campeonatos de League of Legends. Tenho meus times favoritos e pode ter certeza de que tudo o que eu não gritei na copa, sou capaz de gritar quando assisto um jogo do TSM ou da Alliance.

Confesso também que tentei sim assistir aos jogos dos times brasileiros e falhei miseravelmente devido a grande discrepância entre a qualidade de jogo lá fora e a qualidade de jogo aqui (assim como qualquer coreano acha risível um campeonato norte americano). ERRO MEU.

Erro meu porque a única maneira de ver o cenário melhorar no país, é dando suporte para os jogadores e times brasileiros. Criando uma atmosfera de aceitação, as pessoas deixarão de ver os jogos como uma brincadeira de criança e patrocinar/incentivar os times, para que assim surjam cada vez melhores jogadores e tenhamos cada vez mais estrutura no país para os praticantes de e-sports.

Assim, já havia decidido de que independente de qualquer coisa iria assistir e apoiar o KaBuM nessa disputa pela wildcard e não é que acabei sendo surpreendida?
O KaBuM apesar de cometer diversos deslizes, conseguiu vencer o time da PEX por 3x0 em um Bo5, classificando-se para o mundial. Porem o mais surpreendente não está no fato de se classificarem, mas sim na evolução visível que os jogadores tiveram nos últimos 5 meses.
Evolução notável que provavelmente lhes renderiam vitórias em cima de times como o Complexity, o EG e o Team Coast.

Acreditar que o KaBuM possa conseguir uma boa classificação no mundial? Não. Torcer?Sim. Me orgulhar? MUITO!

O que importa foi o grande e belo passo dado rumo ao crescimento e popularização dos e-sports no país, algo que para um leitor incauto talvez soe bobo, mas para quem sabe que em outros países os e-sports rendem carteiras de trabalho especiais ou mesmo bolsas em faculdades, significa novas oportunidades para inúmeros talentos escondidos no nosso país.

Parabéns KaBuM! E que venha o mundial!

27 agosto 2014

Nova fase

É curioso quantas vezes pensei em voltar a escrever nesse espaço e quantas vezes me vi desistindo. Acreditem ou não, as vezes parece que quando você alcança o tal peso ideal, perde o direito de falar sobre peso.
Digo isso pelo peso da censura que me perseguiu tantas vezes no ultimo ano e meio. Falar que engordou?Não pode. Falar que emagreceu?Não pode.

São tantos nãos, tanta gente junta fazendo força contra, que acabei me perdendo daqui.
Lia os blogs de tantas amigas de luta (Nice, Mih, Cíntia, Deda, Janna, Sra. Redonda, Débora, Quel do Cottage Regressiva...) e me coçava com a vontade de voltar, de comentar, de viver o blog outra vez mas cedi as barreiras.

E foi hoje, apenas hoje, que fui perceber que foi aceitando barreiras que me tornei a pessoa passiva que eu era até 2 anos atrás. E quer saber?É uma delícia poder quebrar esse muro outra vez.

Quero e vou falar outra vez sobre isso que ainda é parte de mim, principalmente porque acho justo deixar registrada aqui a nova fase que estou vivendo, já agora tenho um motivo a mais para me cuidar e tentar me manter o melhor que posso: em 1 ano e 2 dias (dia 29/08/2015) me tornarei uma mulher casada.

E nada mais justo que eu traga pra cá as experiências dos preparativos e principalmente dos meus esforços em me manter dentro da faixa de peso ideal durante todo essa fase que apesar de linda, carrega consigo muito estresse.

E lá vamos nós!




26 agosto 2014

I'm back...

Tanto aconteceu desde a ultima postagem que chega a ser difícil pensar no que colocar aqui primeiro, porém creio que entre as coisas mais relevantes está minha grande menina dos olhos: World of Warcraft.



A Blizzcon de 2013 veio como uma brisa de ar fresco num dia quente e realmente renovou meu amor e confiança por essa que é uma das únicas grandes franquias que eu sigo com devoção. Após um Mists of Pandaria que causou rancor nos corações de quem tanto ama lore, Warlords of Draenor vem como um afago!

Em termos de lore creio que não teremos grandes avanços, porém poder encontrar grandes heróis de dois dos meus livros favoritos (Tides of Darkness e Beyond the Dark Portal) me trouxeram de volta a vontade de jogar.

Assim, retornei aos poucos desde o anuncio de Warlords of Draenor, conhecendo um pouco mais a fundo o Mists of Pandaria e trabalhando um pouco nos meus Nerd Points (Achievements)   . E confesso que a expansão também me fez retomar um antigo sonho cosplayer, que pretendo aos poucos registrar aqui.

Hoje como forma de comemorar a aproximação do dia 13 de novembro, data de lançamento da nova expansão, resolvi sortear uma key de Mists of Pandaria no twitter @derepente80 para que mais alguem tenha a oportunidade de se aventurar em Azeroth e se preparar para a próxima expansão.

May Elune light your path...


18 fevereiro 2014

1 Ano de manutenção.



Saldo do ano:
- Eliminação de Peso: - 4kg
- Atividade física: musculação (3x semana) caminhada (3 a 4x semana) 
- Gordura corporal: 16,89%
- Reeducação alimentar: Constante.


Um ano que passou em um piscar de olhos e da maneira mais fluida possível. 

E entre tantos aprendizados do ultimo ano, diria que o principal foi perceber que não é preciso ficar em uma neurose infinita para que os números na balança não subam. Em um ano aprendi que 1 ou 2kg é uma oscilação normal de peso (que qualquer ser humano sofre) e que é possível sim relaxar.

Principalmente nos últimos seis meses descobri que não há mal algum em cometer um pecadinho ou outro as vezes, afinal os bons hábitos são tão parte de mim que já não perco mais o controle. 

Hoje a trufa no fim de semana é só uma trufa no fim de semana. Mesmo! Parei de vilanizar comida como sendo um gatilho pra um mundo de comilança sem fim. Coisas são apenas coisas, nós é que damos significado a elas e pra mim hoje, finalmente, comida é apenas comida.

Sendo assim, diria que o maior aprendizado foi a moderação em relação aos maus e bons hábitos.

Hoje me sinto mais livre que nunca e mais próxima do equilíbrio que sempre sonhei pra mim. Feliz 1 ano.