Tudo começou no fim de fevereiro.
Um dia acordei com coceira nos braços e nas pernas, algo que lembrava a coceira de três semanas só que a coceira de três semanas antes tinham uma razão bem justificada, a dengue.

Confesso que não dei muita atenção a coceira até o quarto dia seguido em que mal conseguia dormir a noite. A coceira vinha acompanhada de vergões que desapareciam da mesma maneira misteriosa com a qual surgiram, migrando depois de um tempo para outra parte do tempo.
Lidei com a situação da mesma maneira que lidava quando sentia reação alérgica a porco: tomava meu antialérgico de costume e esperava passar. Porém, a coceira e os vergões sempre voltavam, foi quando decidi procurar uma dermatologista.

Na primeira consulta com a dermatologista recebi o diagnóstico de urticária e passei pelos primeiros impactos: tratamento com corticoide + antialérgico por cerca de 10 dias e os primeiros cortes na alimentação (nada de chocolate, tomate, kiwi, morango, banana, laranja, uva, maçã, abacate, frutas cítricas em geral, peixe, pimenta, frutos do mar, queijos amarelos, bebidas alcoólicas, corante amarelo, corante vermelho e refrigerantes). Buscávamos nesses alimentos encontrar a causa da urticária, porém também me foram pedidos exames de sangue, rins e fígado, já que a urticária poderia ser sintoma de outras doenças como leucemia ou lupus.

Descartadas as doenças de figado, sangue ou rins e com a confirmação do teste de Ige, ficou confirmada a urticária alérgica, que apesar do tratamento ainda persistia, isso levou a novos cortes como ovos e leite. Também a um exame de RAST específico para ovos (gema e clara), leite, carne de porco e cacau.
Foi quando resolvi buscar especificamente uma alergologista.

Já na consulta, com exames em mãos e após a descrição detalhada dos últimos meses (incluindo a dengue que precedeu a crise de urticária) recebi o diagnóstico de urticária crônica e a noticia de que não há previsão de cura completa.

Confesso que a frase "pode ser que você se cure em 6 semanas, 6 meses ou 30 anos... Tenho um paciente que demorou 20 anos para se curar!" me atingiram como uma bomba. Recebi as mais diversas recomendações, novos antialérgicos de uso contínuo pelas próximas 6 semanas e um novo corte na alimentação que se resume a essas 3 imagens:



Além da exclusão de atividades físicas intensas, banhos quentes ou longos, tomar sol, sauna, esforço físico, roupas apertadas, remédios não permitidos e stress (sim, não posso ficar nervosa).
Saí desnorteada do consultório, passei um sábado choroso mas depois de uma caminhada no parque minha cabeça foi voltando ao lugar já que me dei conta que entre as possibilidades, a urticária crônica era a menos pior.

Confesso que é difícil temperar as comidas sem alho e cebola mas estou me permitindo experimentar o novo e estou decidida a não me deixar abater por essa doença. Seja em 6 semanas, 6 meses ou 30 anos, vou me curar e ter uma vida normal.

Enquanto isso as pessoas ao meu redor tem me dado amor e me ajudado a adaptar meu cardápio agora que não posso comer fora de casa.
Essa é a nova rotina alimentar que trarei aos poucos para cá.
Pão de frigideira com fécula de batata

salada de tofu com cenoura e alface

pão de fécula de batata com mandioca

bolo de limão sem ovo, sem leite, com farinha de arroz

pão de inhame com polvilho


salada de alface, cenoura e batata


arroz (temperado só com sal), frango desfiado (temperado com limão,
 sementes de mostarda e alecrim) e batata e cenoura cozidas

doce de abóbora com açúcar mascavo







Como eu disse em outra postagem, filmes tem tido sempre um grande papel na minha vida e por isso esse desafio de 30 filmes em 30 dias sempre me anima, principalmente nessas fases em que tudo parece fugir ao meu controle .
E foi por isso que fiz a segunda edição do 30 filmes em 30 dias de 2015, logo em seguida da primeira edição.
Nesse momento estressante de faculdade/preparativos do grande dia/tratamento de uma alergia (que acabou se revelando uma urticaria crônica - assunto do próximo post), esse desafio de 30 filmes em 30 dias veio como um balsamo e ao mesmo tempo um catalisador para que eu continuasse firme no meu propósito de parar de adiar as coisas que me fazem bem.
Se o que te faz bem é ler: leia. Se o que te faz bem é dançar: dance...
A construção/reconstrução da autoestima é influenciada por pequenas atitudes e a minha sempre foi muito ligada ao conhecimento e a arte, por isso tenho retomado e me apoiado em tudo o que me faz bem: livros (ao menos 2 livros por mês), musica, cinema e dança (voltei a dançar em março e já estou a menos de 1 mês do meu retorno ao palco e ao cheiro de linóleo).
Nesses 30 dias da segunda edição tive o prazer de conhecer alguns filmes que entraram inclusive para a minha lista de favoritos de todos os tempos!

21/04: Johnny & June -  ☆ 
22/04: Millenium: Os homens que não amavam as mulheres (sueco) -  ☆ 
23/04: Divergente  - 
24/04: Snatch - 
25/04: Preciosa - 
26/04: Volver - 
27/04: Ligeiramente grávidos -  
28/04: Blue jasmine  - 
29/04: Samurai X - 
30/04: Meninos não choram - 
01/05: Sem limites - 
02/05: Fargo - 
03/05: Psicose - 
04/05: Onde os fracos não tem vez -  
05/05: Crash: no limite - 
06/05: Coincidências do amor - 
07/05: Os estagiários - 
08/05: Regras da Vida - 
09/05: Bastardos Inglórios -  
10/05: Selma - 
11/05: As vantagens de ser invisível - 
12/05: Bem vindo aos 40 - ☆ 
13/05: Cyberbully - ☆ 
14/05: O Abutre - 
15/05: Desejo e Reparação  - 
16/05: Rango ☆ 
17/05: Os Instrumentos Mortais: cidade dos ossos☆ 
18/05: Garotas do Calendário ☆ 
19/05: O Jogo da Imitação -  
20/05: Expelled - 


Sei que essa não foi a ultima edição do 30 filmes em 30 dias desse ano pois o que faz bem, é feito para durar.


Inúmeras vezes vim aqui descrever minha história, o amor por mim que nascia e que me levou dos 91.4 Kg aos 56 Kg.
O que não imaginava era estar aqui hoje dizendo o quão difícil tem sido sair dos 61 Kg e voltar aos tais 56 Kg, algo que pode parecer absurdo pra quem um dia emagreceu 35 Kg. Acontece é que há 3 meses e meio venho lidando com uma alergia que trouxe para a minha rotina remédios, remédios e mais remédios.

E de repente, pela primeira vez em anos vejo meu emagrecimento não depender de mim mas de fatores externos os quais não posso controlar. Já chorei, me frustrei, muitas vezes me sinto a pessoa mais terrível do universo mas hoje, resignada, venho dizer: eu tenho feito o que posso.

Não como nada que vá ovo, corante vermelho, amarelo, chocolate, refrigerante, frutas cítricas, pimenta, frutos do mar, peixe, me exercito, muito raramente exagero nas porções do pouco que me resta para me alimentar e ainda assim o peso está lá, estagnado.

No próximo dia 22 tenho consulta com uma alergologista na cidade em que estudo e nela estou depositando as esperanças de descobrir tudo o que causa essa urticaria para poder viver uma vida o mais próximo da vida normal que eu vivia antes.

Mais do que me preocupar com o fato de ter perdido minhas roupas de 5 Kg atrás, hoje vivo o constante medo de comer algo e desencadear as tais crises alérgicas que até no hospital já me fizeram parar.

Porém não vim aqui para chorar, vim para dizer que apesar de me esforçar e ainda assim não ver resultados na balança, vale a pena o esforço, vale a pena trazer saúde pro meu cotidiano mesmo não sendo mais 100% bem sucedida.
E tenho fé que em breve, em muito breve, os resultados na balança também me recompensarão.





Se tem algo que eu nunca imaginei que teria, é uma festa de noivado. E mais que isso, nunca imaginei que teria uma importância tão grande viver esse processo.
Sempre quis quebrar com o tradicional (e Deus é testemunha de que meu casamento será bem diferente, bem a nossa cara) mas depois da festa entendi que noivado é algo extremamente válido e importante: trata-se de uma pequena amostra do grande dia!

E sei que se a festa de casamento me render metade da alegria que o noivado rendeu, será um dos dias mais lindos da minha vida.
Nesse dia, tive o prazer de poder curtir com o amor da minha vida a presença de cada um dos nossos familiares e amigos. Todos emanavam amor e eu não poderia estar mais feliz.

Aproveitamos a data para oficializar o convite aos padrinhos e a dama, entregando os convites especiais já mostrados aqui.


Também entregamos nosso save the date e tivemos como lembrancinhas as balas de coco da dona Cida.






A festa



Tive o prazer de ganhar a festa de presente de uma das minhas tias mais queridas (o fato é que literalmente não haveria uma festa de noivado, senão por ela), apenas escolhi a lista de convidados, fiz os convites e no dia 18 de outubro de 2014 tive o prazer de ter todos os amigos mais próximos em um só lugar, comemorando de maneira informal e gostosa o que marcava o nosso dia.

Para marcar a data, minha tia cedeu sua casa, contratou o homem pizza para que tivéssemos pizza de vários sabores, servidas quentinhas e feitas de acordo com o paladar dos convidados, um bartender para preparar nossas bebidas e docinhos na dona Cida (a mesma fornecedora dos doces do casamento).
Meu primo Rafa cuidou da trilha sonora e a esposa dele (que eu considero uma prima querida também) tomou o cuidado de registrar as fotos.



As fotos








.






































Entre as muitas coisas que eu tive certeza de que queria diferente no nosso casamento estavam a quantidade de padrinhos e a disposição deles. Inicialmente pensei em 3 casais de cada lado mas a ideia foi por água abaixo quando percebemos um pequeno e simples detalhe: o Edson não conhece mulheres!
Foi então que surgiu a solução: e se ele só tivesse padrinhos homens e eu apenas madrinhas mulheres?

Escolhi três das pessoas mais amadas do mundo para mim (confesso que havia uma quarta amiga que gostaria muito de ter entre minhas madrinhas porém quem já casou vai entender que nem sempre é possível ter todo mundo que você quer alí), três pessoas que estiveram comigo e que eu quero ter de alguma forma como parte dessa nova família que estamos construindo.

Após a escolha das madrinhas e padrinhos veio a outra parte que eu tinha certeza de que queria fazer de forma diferente: o convite dos padrinhos. Queria algo pessoal e que mostrasse a cada um o quanto os amamos e creio que fomos muito bem sucedidos nisso.

Para as madrinhas

Assim que decidi que teria 3 madrinhas comecei a pesquisar e encontrei no etsy colares personalizados e foi amor a primeira vista. Tive certeza de que era aquilo o que queria que minhas madrinhas tivessem porém havia um problema: o custo do frete transformava tudo em um presente exorbitantemente caro.

Porém a vida é sempre providencial comigo: uma amiga da minha mãe foi viajar pra casa do filho, que mora nos EUA e se disponibilizou a traze-los para mim, então eu soube que teria dois meses até lá para planejar o resto dos convites.

Enquanto aguardava os colares, criei os convites além de pequenos itens de papelaria como um guia para que cada padrinho se conhecesse (com foto e uma pequena descrição de cada um), swatch de cores com sugestões para os vestidos das madrinhas e fotos de inspiração para que se elas topassem, criássemos um degradê nas cores dos vestidos delas.




Os padrinhos

O Edson optou por dar um dragão para cada um dos padrinhos, porém por sorte a Amazon entregou em uma semana a encomenda em ótimo estado.
Além dos dragões, cada padrinho recebeu em uma caixinha uma gravata, o convite e o guia de padrinhos.




Entregando o convite

Quando começamos os convites ainda não tínhamos muita certeza de como ou quando entregaríamos, porém dias depois recebemos da minha tia a noticia de que ela nos daria um presente: uma festa de noivado.

Foi então que apressei as impressões, afinal dificilmente haveria uma data melhor e realmente, não poderia ter sido mais perfeito. Pude entregar com carinho para cada um enquanto agradecia o papel que tiveram nas nossas vidas e pedia pela honra de te-los como parte da nossa nova família.